quarta-feira, setembro 28, 2016

segunda-feira, setembro 19, 2016

Inicio do ano escolar

...é de doidos!
Comprei listas de material que mais parecia que os miúdos estão já todos na Universidade. Mas não estão!
Muito papel cavalinho, pincéis, papel de lustre...há papel que eu nem sabia que existia - perdoem-me a ignorância!
Cadernos xpto, e lápis nº 1,2,3, h, hb e mais outros tantos, a mim parecem exagerados os pedidos...
Quando cheguei a determinado montante deixei de fazer contas...
Mas eles lá foram muito felizes e contentes com o material todo, tanto que não cabia nas mochilas e portanto fomos nós levar à escola num mega saco.
Chegados a casa no primeiro dia de aulas, diz o Tomás - Mamã fui o unico menino que levava o material todo direitinho!
- Ah sim! Boa, então ainda bem que acertamos em tudo sem enganos!
- Ah!... mas a professora ainda pediu mais um livro de fichas!....

terça-feira, setembro 06, 2016

Voltar.
Voltar à rotina, ainda que sem aulas, por enquanto.
Voltar a sentir saudades do cheiro deles durante o dia, dos abraços e beijos inesperados...
Hoje é o seguindo dia de trabalho pós ferias e tenho a sensação que as férias não passaram por mim.

segunda-feira, agosto 08, 2016

quarta-feira, julho 27, 2016

A minha avó.
A minha avó tem 85 anos!
Está acamada há 7/8 anos porque caiu e fracturou a cabeça do fémur, ainda foi operada mas nunca mais andou.
A minha avó ficou viúva do único homem que amou aos 48 anos. Lembro-me na altura de achar que quando morria o avo a avó também morria, porque segundo os médicos os cérebro dela envelheceu muito, e ficou como se tivesse 80 anos.
Esteve muito tempo de cama e aquilo tudo era muito estranho para mim. Depois lentamente foi voltando à vida.
Era a nossa companhia nas férias, chatinha que só ela, na casa da praia ficava connosco, fazia as refeições - ninguém faz um arroz de feijão como ela, ou sopa de feijão verde, ou pataniscas, ou bacalhau à brás ou puré de batata - ela fazia tudo por nós. Levantava-se cedo ía ao mercado, comprava tudo fresquinho, e era assim todo o verão. O resto do ano era o braço direito da minha mãe.
Na praia enquanto andávamos na água ficava à beira mar a vigiar-nos, e gritava se nos afastávamos.
Fez-se amiga dos nadadores salvadores, e dos nossos amigos que a tratavam por "tia Maria", jogávamos ás cartas com ela, comíamos gelados, mas não podiam ser de água porque faziam mal!
Á noite se não chegássemos à hora marcada ia à nossa procura, e uma vez chegou ao portão do parque de campismo e começou a chamar por mim à meia noite porque eu estava com umas amigas a tocar guitarra e a cantar - mas era hora de ir para casa!
Era uma figura caricata - não era de muitos abraços e beijos, era de carisma, de mostrar o afecto noutras coisas, na sua preocupação com as refeições, com as nossas roupas, com a nossa segurança e com a nossas companhias.
Adoptou o meu marido como verdadeiro neto, e ela adoptou-a como verdadeira avó, enquanto pôde, fez-lhe, na casa da praia, as comidinhas preferidas, o que ele mais gostava para agradar, e isso sabia-me bem.
A sua gargalhada era magnifica - ainda é, mas agora mais suave com a idade que vai pesando.
Ontem foi o dia dela - da minha avó. E eu liguei aos meus pais para os meus filhos darem beijinho aos avós - mas não lhe liguei a ela porque já era tarde...liguei hoje de manhã.
Para ela está sempre tudo bem, sempre de sorriso, e com as ultimas noticias na ponta da língua, seja de politica ou de futebol - hoje perguntou:
- Quando vens cá?
- E eu disse - agora só nas ferias avó, se Deus quiser!
- Pois, se Deus quiser - disse ela.
E nós queremos muito que Deus também queira.
Como ela me costumava dizer para acabar uma conversa que descambava -" rêcetê"!

terça-feira, julho 26, 2016

Ontem o meu pai fez 69 anos.
A minha mãe pediu que lhe fizéssemos uma surpresa e embora fosse segunda feira, tirámos o dia de férias e aparecemos para almoçar.
Estava tudo combinado, eu de  manhã liguei a dar os parabéns, mandei beijinho, disse que os meninos falavam com ele à noite, disse para ele ir almoçar com a minha mãe ao restaurante que todos gostamos, e ele a dizer que não, que não  estávamos todos...
A minha mãe lá o convenceu a ir ao restaurante. Nós estávamos cá fora, escondidos, vi-o sair do carro, os miúdos estavam no parque a brincar, e eu a ver o meu pai e a minha mãe no passeio, escondi-me, e fui andando por entre os carros estacionados, até que comecei a correr em direcção a ele,  até ele me ver e começar a rir...foi tão bom!
Foi delicioso ver a cara dele de surpresa.
Parabéns papá!

quarta-feira, julho 13, 2016

Quando eles estão de férias e nós ainda não:
deitam-se tarde...querem brincar, ver tv, fazer jogos, ouvir musica, ver vídeos ...se num momento estão a brigar, e eu a ouvir o típico  - Oh mãeeeeeeeee- noutro já estão todos enfiados num dos quartos a inovar (fazer asneira) ontem eram só bocadinhos de papel espalhados no chão do quarto das meninas, pedi para apanharem tudo e até que correu bem, não fossem os chinelos a triplicar (por cada um) debaixo das camas, os brinquedos quase sempre desarrumados, mudam de roupa à velocidade da luz, depende da brincadeira que estão a fazer e depois vai logo para lavar...pintam-se e pintam desenhos também. Fazem lego - é muito bom vê-los a fazer Lego até ao momento que um descarrila e começam a discutir, dançam e fazem coreografias...
Eles divertidos e nós com a cabeça feita em água!

terça-feira, julho 05, 2016

Os dois do meio brigaram.
Brigam muito, regra geral, mas adoram-se. Mas ontem ele disse-lhe que preferia que ela não existisse, ela ficou muito ofendida - ligou-me chorosa. Tentei que desvalorizasse mas quando os fui deitar fiz questão  de voltar ao assunto.
Conversei com ela, perguntei: Sabes que ela gosta tanto de ti, que nem ele próprio sabe gerir, por isso, como és a pessoa de quem ele se sente mais próximo, é contigo que tem mais à vontade para aparvalhar, percebes? - e ele a ouvir tudo - claro que não está certo tudo o que ele disse, mas acho que ainda assim deviam fazer as pazes e se ele já te pediu desculpa...
(pausa) ela ao meu colo a olhar para o chão...
Ele vem direito a ela para a abraçar e ela recusa ( doeu-me o coração) ele ficou triste.
- Sabes que ele está mesmo a tentar pedir desculpa não sabes? Percebes que está arrependido?
- Oh mãe mas ele disse que preferia que eu não existisse...
- Mas estou arrependido...
A coisa fluiu bem ela lá aceitou o abraço dele.
Cada um foi para o seu quarto. Levantei-me a meio da noite e lá estavam os dois na mesma cama - irmãos!

quarta-feira, junho 22, 2016

Férias!
Férias...esse drama dos pais que estão a trabalhar e os filhos a reclamar isto e aquilo...
Atl não, casa dos avós não porque ficamos com saudades, ficar em casa não...
Eles querem férias connosco. Ok eu entendo. Mas até lá ainda falta um bocadinho, sim?!

Cada vez mais acho que as ferias escolares estão mal distribuídas...e os horários das mães/pais deviam ser ajustados...


quarta-feira, junho 15, 2016

Depois de jantares e festa e baile e noite passada na escola, como despedida de mais um ciclo, eis que chegam as férias!
Não querem ir para os avós, porque dizem que ficam com saudades nossas ( é bom!)
Entretanto, quando chegamos ao pé deles querem laurear ...o que também é bom! :)

terça-feira, junho 07, 2016

4º ano

dá direito a :
- passeio de finalistas;
- entrega de diploma ;
- Baile de gala
...nem quero imaginar quando for o fim do curso! ;)

segunda-feira, maio 23, 2016

Nos preparativos para a 1ª Comunhão da minha filha Madalena.
Ela está excitadíssima.
Ontem fomos escolher o bolo, e ela escolheu tudo como queria, no fim disse : sinto-me importante.

;)

segunda-feira, maio 16, 2016

Parabéns ao Benfica!
Lá em casa somos 6.
A parte feminina lá de casa é do Sporting, a parte masculina do Benfica.
Ontem estávamos felizes os 6. Ficamos felizes quando os que amamos estão felizes!

segunda-feira, maio 09, 2016

Ir de fim de semana recarregar baterias e ter colinho da mãe sabe tão bem!

quarta-feira, maio 04, 2016

A propósito do programa de ontem - E se fosse consigo - sobre bullying, assistimos todos com muita atenção até porque já nos bateu á porta por duas vezes.
Primeiro com o meu filho mais velhor, agora com 18 anos e na altura com 12/13, foi terrivel.
Fizemos de tudo, reuniões com directora de turma, participação à escola, só faltou fazer uma participação na policia, mas se fosse hoje teria feito. A única coisa que a escola fez foi suspender o aluno por três dias e já em caso extremo, ou seja o meu marido foi falar directamente com o então director da escola e levou o meu filho com um olho negro para ele perceber a gravidade da situação.
No final desse ano lectivo mudou de escola, e graças a Deus tudo correu bem.
Ontem ele viu o programa atentamente, e disse : passei por aquilo tudo mãe...
Estava sereno, mas nunca mais se vai esquecer.
Com a minha filha Madalena,  isto aconteceu tinha ela 8 anos, uma coisa surreal. Tinha mudado de escola, estava no 3º ano, era aluna nova na turma. Umas meninas da turma que se terão sentido inseguras com a presença da minha filha, fizeram-lhe a vida negra, convidavam-na para brincar para a chatearem nos intervalos, chamavam-lhe nome, puxaram-lhe o cabelo, diziam que era feia....enfim...
Várias reuniões na escola, com  o professor que tentou desvalorizar - achava que eram coisas de princesas- nós muito atentos - sempre a dar-lhe força a dizer para se afastar daquelas meninas, que não brincasse com elas - mas elas chamavam-na sempre para depois poderem gozar e chatear até à exaustão.
Até ao dia em que a Madalena não quis ir para a escola e se agarrou à minha cintura a dizer - por favor nao me deixes aqui.
Liguei ao pediatra de imediato a contar-lhe, naquele momento tudo me passou pela cabeça.
Nova reunião com o professor e com a coordenadora da escola, fiz participação por escrito, quer para o email do professor quer para o email da escola.
Sei que chamaram os pais das meninas envolvidas. As coisas acalmaram, talvez por serem ainda pequenas, e a Madalena afastou-se delas, pedi a colaboração de uma auxiliar para no intervalo estar atenta, e felizmente as coisas acalmaram.
Ontem a Madalena, quando viu o programa, claro que falou no assunto, tudo se passou no ano passado, e disse - agora nem lhes ligo mãe, elas já não se metem comigo...
Não é fácil lidar com tudo isto, os miúdos têm que ser fortes e sobretudo saberem que têm que contar em casa, sempre, o que se passa, esse é meio caminho andado para resolver a situação. E os pais têm que andar atentos, aparecer na escola sem que ninguém esteja à espera - fiz isso algumas vezes - e sobretudo estar com muita atenção aos nossos filhos.

sexta-feira, abril 29, 2016

Sexta feira.
Dia de dentista dos 3 mais novos.
 - Mana, não tenhas medo, a médica manda-te deitar e liga o DVD com a Doutora brinquedos!

Pronto, é isto uma ida ao dentista na cabeça da pequenina!

quarta-feira, abril 20, 2016

- Mãe, fazes-me uns pompons no cabelo?
- Faço, mas há algum motivo especial?
- Sim. O M. faz anos hoje e eu quero estar bonita!

By Margarida :)

quarta-feira, abril 06, 2016

Hoje foi dia de birras, ele com elas, a picarem-se com conversas tolas, acabaram por partir uma base de vidro para velas, só vidros no chão.E nós com pressa para sair.
Depois a Madalena a implicar com a Margarida, sem porquê...
Hoje até estava solinho pela manhã, não percebo! :S

terça-feira, abril 05, 2016

A ver o GOT TALENT:
- Mãe eles aguentam quando têm que fazer xixi?

segunda-feira, abril 04, 2016

quarta-feira, março 30, 2016

É preciso muita imaginação para os entreter nas férias...isso e uma psx...:)  (não, eles não são viciados)

terça-feira, março 22, 2016

Balanço do 1º dia de férias

Correu bem.
Não comeram as bolachas todas.
Comeram fruta.
Almoçaram e lancharam a horas.
Estavam de pijama quando cheguei...pijamaram o dia todo!
Desenharam, viram filmes e jogaram psx.
Hoje é um novo desafio :)

segunda-feira, março 21, 2016

Ferias da Páscoa!
Eles contentissimos: vão comer bolachas até mais não, ver tv até fartar, jogar no tablet, anda a pijamar o dia todo...estavam felizes!
Deixei algumas tarefas...só para os manter no espírito do quotidiano sem se perderem muito ;)

quinta-feira, março 17, 2016

Veio visitar-me uma tiroidite auto-imune.
Daqui a um mês repetir todas as análises.

terça-feira, março 15, 2016

- Mãe, o T fez este desenho para mim e eu fiz um para ele.
- Uau que fixe!- respondi eu com um sorriso.
-Sabes, o T é com quem eu vou casar e ter filhos e fazer tudo. (não sei bem o que isto quer dizer!)
-Ai sim?! É teu namorado?
- Não o meu namorado é o T T, o T é só meu amigo...(pausa - deve ter pensado que eu não estava a perceber e repetiu) , mãe p T é meu amigo AGORA, mas é com ele que eu vou casar e ter filhos e fazer tudo, o TT é o meu namorado AGORA.

Hum...esta minha pequenina é uma despachada!


segunda-feira, fevereiro 29, 2016

segunda-feira, fevereiro 22, 2016

- Mãe, porque tu me adoras-me?
- Porque és minha filha, és minha, estás no meu coração, e eu adoro-te!
(silêncio)
-...mas diz-me porque tu me adoras-me?
repeti e acrescentei e porque és uma fofa linda.
- Eu também te adoro-te!
(Margarida)
................................................................

- Mãe és só minha?
-  Sou tua e dos manos.
- Só um bocadinho, só minha, pode ser?
- Hum...sou um bocadinho tua e um bocadinho dos manos.
- Podes ser um bocadinho só minha...mesmo só minha, sim?

(isto deve ser por ser o 3º filho...)

sexta-feira, fevereiro 19, 2016


Esta situação da mulher de Caxias que se tentou suicidar e que levou consigo as duas filhas...
Não tendo acesso a factos processuais, e portanto com as devidas ressalvas,  temos para comentar o que nos tem sido dado a conhecer pela imprensa. Ou seja houve queixa à PSP, à GNR à APAV que enviou ao MP.
A pergunta é: como se deixa uma mulher sentir-se tão mal, tão sozinha, tão desesperada ao ponto de tomar uma decisão destas?
Como é que a sociedade, nós todos, tão envolvidos nas nossas vidas, muitas vezes deixamos passar despercebido alguém que ao nosso lado pode estar a sofrer...tanto quanto esta mulher.
Estas entidades deviam ter feito algo mais, assim de repente salta-me logo algo à ideia, mas isto sou eu a falar.
Mas a minha pergunta é para além das entidades, é a nós membros de uma sociedade : e nós? Enquanto cidadãos o que podemos fazer para evitar mais situações destas? Estarmos mais atentos? Estender mais a mão a quem precisa, falar mais ...
Numa entrevista que vi ao Bispo D. Januário, ele disse: Converter significa mudar de mentalidades, e de posturas - e o caminho é por aí.

segunda-feira, fevereiro 15, 2016

A mais nova estava a chatear a mais velha...e chateava e não se calava e os outros a quererem ver TV e ela nao parava...às tantas:
- Mãe! Ter irmão é chato!!
(eu devo ter aberto os olhos de uma maneira que ela respondeu)
- Eu disse chato, não disse que era mau! :S

sexta-feira, fevereiro 12, 2016

Tenho ouvido, desde o inicio, o Rebenta a Bolha como César Mourão na Rádio Comercial - M-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o!
São fantásticos, todos!
Aliás, faço questão que depois as minhas colegas oiçam :) risada total durante o almoço!