terça-feira, julho 27, 2010

Será que sou mãe galinha???? :P

(Imagem tirada da net)
Ele, o mais velho, ficou nos avós, nos meus pais...
Quando nos despedimos, chorei, ainda que tivesse feito força para não o fazer, não aguentei...
Ele ficou com o queixo a tremer mas aguentou-se.
Ontem às 11 da manhã já lhe tinha ligado 4 vezes.
Até ao fim do dia devo ter ligado mais 5 ...só lhe queria ouvir a voz.
Quando chegámos a casa ao fim do dia, a Mimi entrou em casa e chamou por ele e quase a choramingar disse que queria o Duda...
Liguei à hora de jantar e tinha ido jantar a casa da tia, minha irmã...a minha mãe disse que o ía buscar a seguir ao jantar.
ok - pensei eu.
Fui fazendo as minhas coisas, ligou eram 22.30, que tinha comido bacalhau à gomes de sá, mas que o meu era melhor :D
E que tinha saudades, mas que já tinha planos para a semana toda...ok percebo-te filho.
Depois quis falar com o pai e depois de novo comigo.
Hoje às 8.30 ligou-me.
Bom dia , mãe. Tenho saudades tuas.
Ui...eu sei filho eu também tenho saudades tuas.
Queria falar com a Mimi, depois o Tomás também quis falar com ele e no meio disto tudo nao falou com o pai.
O pai ficou todo triste - então falou com todos e nao falou comigo?
Desculpa fui eu que desliguei- falamos com ele ao almoço.
Ora bem vistas as coisas eu se calhar até posso dar a mão à palmatória e aceitar que sou mãe galinha, mas haverá outra forma de ser mãe?
Porque o pai também é pai galinha e parece que os irmãos lhe começam a tomar o jeito :)

13 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Mãe é mãe... como eu te compreendo!!

Mas tb só temos de abandonar este comportamento "obsessivo" (???), quando eles casam, certo????? hahah senão as noras rifam-nos!!!!!

Andreia disse...

Eu acho que todas acabamos por ser um bocadinho mãe galinhas, mas também acho que lhes faz bem estar sem nós, fá-los mais seguros e confiantes e faz parte do crescimento deles, afinal um dia eles vão casar e sair de casa e não vamos estar a ligar tantas vezes por dia, não é!!!

Mãe Inês disse...

Concordo com a ESpeCialmente GaSPas! LOL
Começei a lavar sim e a passar a ferro. Roupa de pendurar e roupinha interior. Vou agora duas semanas para o Algarve e depois quando voltar já começará a ser demasiado apertado e eu estarei bem mais pesada!!!!
Beijinhos!

Maria João disse...

Olha que há outra maneira de ser mão. Não é a minha, porque eu sou muito galinha e não sei ser de outra forma. Mas as outras formas de ser mãe existem e criticam as "galinhas"!! Eu não me considero obsessiva nem nada disso, mas mãe é mãe e não há frase mais certa!

mãeee disse...

Nãaaooo, não és nada mãe galinha! ... :) nem se nota nada pela forma como escreves e falas sobre eles! hihihihi
Aliás, mãe-galinha, pai-galinha e pintaínhos ... tudo agual!
Sabes, mas é bom fazer saudades. Para eles e para nós. Mesmo que doa. E os beijos do reencontro têm outro sabor.
beijos. muitos

Madame Pirulitos disse...

Olá!! Voltaste:)

Eu acho que há outras formas de ser mãe sim. se calhar eu não sou mãe galinha. Sou mais mãe leoa. Gosto que eles vão, que aprendam, que tentem, que se deslumbrem com outros possibilidades. E eu estarei sempre cá para os proteger, para os defender.

Ainda ontem falava sobre isto com a minha mãe. Os meus filhos estão felicíssimos de estarem com a minha mana. Tão felizes. Tão mais felizes do que se estivessem aqui comigo, fechados em casa.

É tão bom eles estarem felizes. É tão bom eu ter manas e pais que fazem tudo por eles; que os fazem sentir completamente em casa. É tão bom quando eles também podem aprender que o resto da família também é família para cuidar deles. Uns verdadeiros segundos pais.

E tenho medo que quem leia possa pensar que se os filhos não estão a morrer de saudades que isso signifique que não se sintam maravilhosamente bem em casa. Nós, pelo contrário, na psicologia chamamos a isso vinculação segura.

os teus filhos adoram-te e tu adora-los mil milhões. E eu sei disso. Eu vejo isso. Mas há outras formas de se ser mãe sim. E igualmente positivas.

Beijo enorme e desculpa o testamento. Os teus posts fazem-me sempre flectir.

Tita disse...

:P Ora essa não!!! Nadinha!!!
Farinha do mesmo saco, todas!
Beijinhos enormes

Mãe(q.b.) disse...

Galinha ou não, os nossos pintainhos são só nossos e agente quer-os perto debaixo das asas :D

jocas

Algures no Oeste disse...

:)
Acho que à nossa maneira, todos somos galinhas.
Eu não sei bem como é ter o meu filho ausente porque nunca aconteceu, não porque não queira/deixe mas porque não temos família e/ou avós que fiquem com ele.
Agora o que noto é que o protejo mas que o deixo "voar" dentro do possível para que aprenda a desenrascar-se um dia mais tarde no mundo cruel dos adultos. Mas isto sou eu a falar, que sou filha única e que fui mega protegida. Por causa disso, fui uma jovem adulta insegura e super sensível. E por causa disso sempre pensei que queria o meu filho forte e nada lamechas como a mãe... Mas isto sou eu.
Como digo, cada mãe é a mãe perfeita para os seus filhos :))
Beijos grandes com saudade.

Barriguita disse...

junta mais dois sócios ao clube: somos uns pais-galinha da pior espécie.

LOL

Kella disse...

Acho que também me enquadro aqui porém, tenho vindo a "mehorar". Os meusfilhotes mais velhos vão já de férias para acampamentos bíblicos de crianças, sem mim e fazem-no desde os 5/6 anos. custou-me deixá-los mas agora já o faço sem problemas.

CC disse...

Eu tambem sou mãe galinha, apesar de me tentar controlar. A M. há dias foi passar a sua primeira noite (só mesmo a noite!) á casa dos avós e custou-me imenso.

Confesso, que não fomento essa situação e que ela só foi aquela vez porque me pediu muito.

Apesar de racionalmente achar que até será bom para eles passarem uns dias fora, emocionalmente quero-as ter sempre debaixo da minha asa. E depois lá tenho de gerir todo este conflito interno :)

Bjos

aka pink disse...

Será que sou mãe galinha???
Tira os pontos de interrogação e o "Será que", e substitui por "Sou mãe galinha" :P
LOl
Porque és mesmo.
E não é mau ser.
Assim como ter ;)