quarta-feira, agosto 12, 2009

Quando passam os limites.


Há cerca de 4 meses compraram a casa ao lado da nossa.
De um modo geral consigo "perceber" como são as pessoas só pelo "ar". Acho que somos todos um pouco assim. E quando os vi pela primeira vez, comentei com o meu marido que nao tinha achado piadinha nenhuma ao senhor, que tinha um ar "duvidoso"! E foi esta a expressão que usei!

Pouco tempo após estarem lá em casa, a minha vizinha M. veio bater-me à porta a perguntar se eu nao tinha ouvido a gritaria!
Eu disse que não, mas perguntei o que se tinha passado. Ao que ela me explicou que os novos vizinhos discutiam imenso e que lhe tinha parecido até algo mais.

Há dois dias, estavamos nós a jantar e de repente começamos a ouvir gritos. Gritos aflitivos como se alguem estivesse a apanhar.
Abri os estores da sala de jantar e o som intensificou-se.
Ficámos todos agitados e em burburinho.
Liguei à policia, no momento em que o meu marido estava já disposto a ir bater à porta dos senhores.
Passados alguns minutos as coisas acalmaram.
Fiquei sem perceber se a policia apareceu.
Fiquei a pensar nos filhos deles...
Fiquei a pensar se a mãe assistiu, porque pareceu-me que quem apanhou desta vez foi a filha...
Fiquei e pensar que se alguem batesse assim num filho meu, eu perderia a cabeça!
Os meus filhos ficaram inquietos e com um olhar assustado tal eram os gritos e os pedidos de "ajuda-me mãe"...

Uma coisa é certa, as janelas daquela casa raramente se abrem...imagino-a uma casa sombria...que memorias vão ter aqueles miudos, já adolescentes, um dia ?
Provavelmente aquele pai, vai ser mais um velho abandonado num lar...sem eira nem beira, ou talvez nao...

Discussões familiares todos temos, mas são discussões...que se sanam a conversar.
Mas ali, naquela casa, passam dos limites...muitas vezes!

6 comentários:

Kicas disse...

Bem...a unica coisa que lhe posso dizer é que de todas as vezes que berrarem chame a policia...porque não vai querer deixar de chamar justo no dia em que acontece algo mesmo grave...e talvez tentar uma chamada á assistencia social ou ás linhas de apoio...a violencia domestica é crime público...todos temos o direito e principalmente o dever de avisar sempre que temos conhecimento de um episódio...ás vezes mesmo que a familia depois negue se houverem queixas que justifiquem o ministério público pode decidir avançar na mesma!!!
Não entendo como é que uma mulher se sujeita a isso...mas principalmente como é que deixa um filho nesse terror...mas o certo é que há gente muito má e capaz de manobrar e destruir pessoas com uma facilidade aterradora!

Maria José disse...

Bolas como é que é possivel existiram pais assim, não consigo nem sequer imaginar essa casa
bjokas

sandra disse...

Aconselho a chamar sempre a polícia, sempre sempre sempre.
Até deveria fazer uma queixa se quiser, anónima.
ou então, se acha que tem coragem, e se a sua vizinha nova tiver um ar de quem é sincera, se um dia souber que ela está sózinha em casa, fale com ela. Pergunte-lhe se ela precisa de ajuda.
Muitas vezes quem está nestas situações precisam de um empurrão.
Eu sei muito bem do que falo, acredite.
e ao contrário da maioria, compreendo o facto de aquela senhora continuar com aquele homem.
Há muitas razões que levam as mulheres a se sujeitar a certas coisas...se ele bate nos filhos, e ela não faz nada....nunca se sabe porquê. se por medo, se por cobardia....
Mas, chame a polícia, a sério. Sempre.

ritmargaride disse...

:S bolas que pesadelo...

bjkas

sonho de bebé disse...

É complicado, ainda mais quando os filhos assistem a tudo... mas há tantas familias assim, infelizmente!
beijinhos

Banita disse...

No outro dia vi na TV uma reportagem que dava conta que a polícia já podia fazer queixa de agressão contra o agressor, sem que houvesse uma iniciativa da vítima. Se denunciares, a polícia aparece e pode prender o agressor, sem que seja necessária uma queixa da vítima o que me parece muito bom! Pode ser que assim possam ajudar mais vítimas de violência doméstica!
Beijinhos e bom fds